embalagens-sustentáveis-1
Embalagem

7 inovações em embalagens sustentáveis que você precisa conhecer!

O conceito de sustentabilidade vem ganhando importância há muito tempo. Na ala dos consumidores, a conceituação vem do desejo de reduzir o impacto no planeta e se alia a opções mais saudáveis de consumo.

Já na ala da indústria, a sustentabilidade atende a uma necessidade de mercado e transforma os métodos de produção.

Independentemente do ramo de atuação, quem trabalha na indústria deve se atentar a essas mudanças em curso. Para otimizar sua produção e atender a essa exigência cada vez maior do mercado consumidor, optar pelas inovações em embalagens sustentáveis é um caminho fundamental.

As embalagens são a cara dos produtos, e por isso buscar trazer sustentabilidade já no recipiente onde o produto estará é um atrativo a mais. Além disso, opções sustentáveis no embalamento podem diminuir muito o impacto ambiental da operação produtiva, e, somadas ao empacotamento automático, reduzem custos e aumentam mercado.

A máxima é buscar embalagens que sejam biodegradáveis. Isso quer dizer que são feitas de materiais cuja decomposição é realizada naturalmente, sem necessidade de processos adicionais. Além disso, sua permanência no ambiente é menor, o que diminui as chances de entrada na cadeia alimentar e impacto ambiental prolongado.

Nesse sentido trouxemos para você uma lista com 7 inovações sustentáveis no campo do embalamento. Confira!

 

Inovações em embalagens sustentáveis: como está o mercado

 

Como já citamos, as demandas por produtos mais sustentáveis está crescendo cada vez mais. No entanto, pouco se conhece das inovações em embalagens sustentáveis que estão sendo inseridas nas indústrias.

Diversas opções já estão sendo utilizadas e estudadas, e para conhecê-las um pouco mais, separamos 7 tipos de embalagens que estão em ascensão no mercado. Veja a seguir!

 

embalagens-sustentáveis-2

 

1.   Embalagem de plástico PLA

 

O plástico de PLA, ou plástico de poliácido lático, é um plástico biodegradável produzido através da ação de bactérias na fermentação de vegetais ricos em amidos, tais como batata, beterraba e milho. Da fermentação é produzido o ácido lático que é utilizado na fabricação do plástico.

O plástico PLA pode ser usado em embalagens alimentícias e cosméticas e não apresenta risco à saúde. Quando descartada corretamente, isso é, em usinas de compostagem, esse tipo de embalagem produz substâncias inofensivas ao meio ambiente.

 

2.   Embalagem de milho e bactérias

 

Essa é uma inovação em embalagens sustentáveis que surgiu no Brasil, através de um estudo na Universidade de São Paulo. Consiste em um plástico orgânico produzido pela biossíntese de carboidratos de cana-de-açúcar, milho e óleo de soja ou palma, também através da ação de bactérias.

É um plástico totalmente biocompatível, isto é, não promove reações tóxicas ou imunológicas, e é biodegradável. Contudo, não atende à indústria alimentícia, pois o contato desse plástico com o alimento pode causar contaminação.

 

3.   Embalagem de plástico de leite

 

Desenvolvida pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, essa embalagem plástica biodegradável é obtida a partir de uma proteína do leite capaz de proteger os alimentos da ação do oxigênio. Uma grande vantagem para a indústria alimentícia é que esse tipo de embalagem é comestível e se adapta às empacotadoras atuais.

Ideal para caixas de pizza, embalamento de queijos e até sopas solúveis, as embalagens feitas a partir dessa proteína de leite têm potencial para substituírem adoçantes e até saborizantes, podendo ser cozida diretamente junto com a comida.

 

4.   Embalagem de fungo

 

Outra grande inovação no embalamento sustentável é usar fungos como matéria-prima.

Totalmente moldável à necessidade do produtor, esse tipo de embalagem é feita a partir das raízes dos fungos crescidos em um meio de folhas secas, húmus e uma variedade de substâncias. Isso faz o material ter grande amplitude de flexibilidade e textura.

Mais que biodegradável, esse tipo de embalagem, tal qual o plástico da proteína do leite, é comestível. Contudo, seu custo elevado e o fato de sua produção ter potencial de competição com a de alimentos inibem sua adoção em larga escala.

 

embalagens-sustentáveis-3

 

5.   Embalagem de eucalipto

 

Uma empresa americana, a Parkside Industries Corp, desenvolveu essa embalagem que é um tipo de filme plástico feito a partir de pasta de madeira vinda de árvores de eucalipto.

Por se tratar de madeira, é um produto que tem potencial no mercado de alimentos. Um vez que, protege o conteúdo do contato com oxigênio e umidade.

 

6.   Embalagem de camarão

 

Uma inovação curiosa no embalamento sustentável, a embalagem de camarão foi desenvolvida a partir do chitosan, um polissacarídeo extraído de camarões e lagostas. Chamada de shrilk, o material pode servir de embalagens para ovos e para verduras.

Porém, tal qual a proposta de embalagem a partir de fungos, o shrilk também gera potencial concorrência com o mercado de alimentos e por isso eleva a resistência para a sua adoção como padrão na indústria.

 

7.   Embalagem de batata e uvas

 

Uma empresa francesa de vinhos buscou nas batatas e uvas o caminho para inovar na produção de suas embalagens. Através de uma mistura de batata, fibras naturais, papel e água, foi feita um tipo de embalagem isotérmica e ecológica.

No caso das uvas, a empresa conseguiu utilizar um subproduto da própria produção de vinhos, somadas à fibras naturais e água, para fabricar caixas de vinhos totalmente sustentáveis e biodegradáveis.

 

Estar atento às principais tendências do mercado e inovações em embalagens sustentáveis é fundamental para se manter sempre à frente. Atender a uma demanda crescente por opções de consumo sustentáveis é imprescindível para qualquer empreendedor. Conheça mais sobre tudo o que diz respeito ao mundo das embalagens no nosso blog.

 

Deixe um comentário