_plásticos sustentáveis
Embalagem

Os tipos de plásticos sustentáveis e seus pontos positivos e negativos

A larga utilização do plástico nas cadeias produtivas coloca um desafio para a indústria, que busca menos impacto e mais sustentabilidade. Os plásticos sustentáveis surgem como uma alternativa, mas antes de mais nada, é fundamental entender o que são e se sua aplicação cobre todos os usos do plástico convencional.

A maleabilidade e o potencial de transformação através de calor, pressão e reação química colocaram o plástico como um dos materiais mais versáteis usados pela humanidade. A sua durabilidade e o fato de ser leve, além de facilmente transportável, o fez substituir outros materiais – como cerâmica, madeira e vidro – em ramos diversos.

Sua forte presença na indústria mundial, porém, é uma preocupação para o empresário que busca aderir à produção sustentável. Afinal, como trocar um material tão importante? Qual a opção correta para as necessidades específicas da cadeia produtiva?

Os plásticos sustentáveis podem ser a solução, mas há divergências sobre a utilização ideal de cada tipo. Conhecer os pontos positivos e negativos é essencial para fazer uma escolha informada sobre a mudança que eles podem causar na sua produção.

 

Os dois lados do plástico convencional

 

Não é novidade que o plástico convencional é um dos materiais mais versáteis do mundo. É, inclusive, esse fator que o fez uma das matérias primas mais usadas em diversos ramos – de embalagens a partes automotivas, de brinquedos à indústria têxtil.

Mesmo com uma vasta diversidade de aplicações, o plástico tem as suas desvantagens. A principal delas é a sua origem, o petróleo, um recurso natural não-renovável que é central no âmbito econômico e ambiental.

Do lado econômico, o petróleo é a principal fonte de energia utilizada no mundo, sendo a renda primária de diversos países. Mas é do lado ambiental que o plástico se torna decisivo. A extração de petróleo é uma atividade associada a processos de degradação ambiental, tais como o aquecimento global e a poluição do ar e dos oceanos.

Mesmo com todos esses problemas, o plástico não deixa de ser um material indispensável no mundo moderno (até porque o material é 100% reciclável). Por esse motivo, começaram a surgir tecnologias ligadas à produção de plásticos sustentáveis, como vias de aliar o uso do material a um sistema de consumo e descarte mais eco friendly.

 

Plásticos sustentáveis: prós e contras

 

Assim como o plástico convencional, suas alternativas sustentáveis têm prós e contras que devem ser levados em consideração antes da sua adoção na cadeia produtiva. Conheça os principais tipos e seus pontos positivos e negativos:

 

Plásticos de Amido de Milho

 

Feito a partir da ação de bactérias, o plástico de amido de milho é um material de origem renovável, compostável e biocompatível com o corpo humano. Além disso, é biodegradável, reduzindo seu tempo de ação no ambiente. Porém, ele pode facilmente ser atacado por bactérias, o que inviabiliza sua utilização na indústria alimentícia, e torna seu custo de produção mais alto por demandar terras agricultáveis.

 

_plásticos sustentáveis-2

 

Plástico PLA

 

Outra opção entre os plásticos sustentáveis é o plástico PLA. Feito a partir da fermentação de amido na criação do ácido lático, é um material biodegradável, reciclável e compostável, mesmo que só em condições ideais. Contudo, sofre da mesma desvantagem do plástico de amido, pois compete com a produção de alimentos, gerando alto custo produtivo.

 

Plástico verde

 

Já o plástico verde é feito a partir da cana-de-açúcar e, em sua produção, capta CO2. Tem alto potencial para reciclagem, pois pode ser combinado com outros plásticos no processo. Porém, o seu descarte é uma desvantagem; pois se feito de forma errada, gera os mesmo problemas que o plástico convencional.

 

Plástico oxibiodegradável

 

Uma quarta opção dentro dos plásticos sustentáveis é o plástico oxibiodegradável. A sua produção consiste na adição de substâncias pró-degradantes ao plástico convencional para acelerar sua decomposição pela ação do ar e de bactérias. Esses aditivos fazem o plástico se quebrar mais rapidamente em farelos, favorecendo seu desaparecimento.

Contudo, esse mesmo processo é alvo de críticas. Caso haja descarte incorreto, o plástico oxibiodegradável pode prejudicar ainda mais o meio ambiente. Isso porque o esfarelamento acelerado faz com que o material penetre e contamine o solo mais facilmente.

É importante frisar que qualquer tipo de plástico, inclusive o convencional, sofrerá ação de degradação natural com o tempo. A vantagem dos plásticos sustentáveis é a aceleração desse processo e, consequente, a diminuição do impacto ambiental.

 

Estar preparado para mudanças de cunho sustentável na sua empresa é fundamental. Quer saber mais sobre a onda sustentável e seus impactos na indústria? Continue navegando em nosso blog!

 

 

Deixe um comentário