economia-circular-1
Embalagem

Economia circular: um olhar consciente para o futuro

Num momento em que o mundo busca soluções para o melhor aproveitamento de recursos e a diminuição do impacto produtivo no meio ambiente, a economia circular aparece como ação fundamental.

Visando estabelecer padrões de consumo e produção sustentável, a economia circular tem importância vital, especialmente na cadeia produtiva de embalagens plásticas. A sua meta principal é a máxima reutilização de recursos, diminuindo gastos com processos que usem apenas matéria-prima virgem.

Tendo em vista a importância das embalagens no mundo moderno, é possível perceber como ações afirmativas em relação ao meio ambiente são importantes. Isso porque elas garantem segurança e qualidade para os produtos que chegam ao consumidor.

Contudo, se não é possível evitá-la, é preciso encontrar meios de repensar as embalagens. Fazer estudos e planejamentos para que elas e, principalmente, a sua matéria-prima, sejam mais bem utilizadas, diminui a influência na sua produção e no seu descarte.

A busca por um sistema produtivo eficiente do ponto de vista econômico e socioambiental é constante. Por isso, as empresas precisam migrar para modos de produção que se alinhem à economia circular. Porém, antes, é necessário saber como e onde elas podem agir para produções mais sustentáveis.

 

economia-circular-2

 

O papel das empresas na economia circular

 

Aplicar o modelo de economia circular dentro de uma empresa é repensar a forma como os produtos são embalados. Nesse momento, a pesquisa é essencial para criar inovações em embalagens que atendam à todas as necessidades.

É fundamental frisar que o primeiro passo para essa mudança é se atentar às normas e à função que a embalagem irá exercer. A partir daí, a meta deve ser reduzir os desperdícios e as perdas de produtos, bem como aumentar as chances de reaproveitamento no período de pós-consumo.

Tornar as embalagens mais eficientes no que diz respeito aos insumos necessários para a sua produção já é um primeiro passo rumo à economia circular. Outra ação possível é a implementação de programas de logística reversa, nas quais a empresa cria caminhos para o consumidor retornar a embalagem ao produtor.

Nesse sentido, maximizar o uso de embalagens retornáveis é fundamental. Além disso, um ponto importante é ampliar a aplicação de matéria-prima reciclada na produção e confecção das embalagens sustentáveis (aplicar link após postado blog 17/03).

Passando para embalagens secundárias, os sistemas reutilizáveis são ideais na economia circular. Caixas de madeira ou plásticas, entre outras opções, possibilitam prolongar a vida útil desses itens e integrá-los continuamente à cadeia produtiva, sem gastos recorrentes nem descartes desnecessários.

Por trás de tudo isso, é necessário uma análise profunda do ciclo de vida de embalagens e produtos. As empresas devem priorizar os elementos 100% reaproveitáveis e que possam retornar ao ciclo industrial.

 

Os desafios do plástico

 

Um dos grandes desafios para a adoção em larga escala de um sistema de economia circular é reduzir a pegada ambiental do plástico. Essencial para as mais diversas cadeias produtivas, o material possui entraves de aproveitamento em sua produção.

O principal vem de questões tributárias, que afetam tanto as resinas recicladas, resultadas em processos do pós-consumo, como o uso de matérias-primas mais sustentáveis em sua produção.

Um dos caminhos possíveis é a troca do petróleo por alternativas eco friendly, tal como o etanol. Essa mudança reduz a pegada ambiental da produção, porém gera maiores custos.

Além disso, a prática da coleta seletiva ainda é pouco difundida nos municípios brasileiros. Isso dificulta os processos de pós-consumo e gera descarte danoso. Nesse aspecto, ações de logística reversa em parceria com cooperativas podem favorecer a reciclagem.

_

O desafio de adotar uma economia circular é global e cabe a todos que têm parte na cadeia de produção. Entenda mais sobre os novos caminhos da indústria, em nosso blog!

 

Deixe um comentário