Categoria: Manutenção e Operação

5 de abril de 2022

Entenda o que é matriz de criticidade de equipamentos e como definir essas manutenções

Você sabe quais são as necessidades de manutenção dos equipamentos do seu parque fabril e o grau de vulnerabilidade de cada um deles?

Essas são informações importantes para evitar paradas não programadas, prejuízos com a interrupção da produção e até mesmo os custos altos que podem envolver um conserto inesperado.

E é na matriz de criticidade dos equipamentos que todos esses dados são reunidos. Com ela em mãos, fica mais simples e prático elaborar um plano de manutenção preventiva forte, que permitirá que você tome decisões rapidamente sobre as ações preventivas da sua indústria.

Agora que você já sabe para o que serve a matriz de criticidade de equipamentos, vamos entender como ela funciona?

Leia também: Entenda os tipos e a importância da manutenção industrial

O que é a matriz de criticidade do equipamento?

A avaliação da criticidade atribui uma classificação a cada tipo de equipamento do chão de fábrica. Essa identificação inclui:

  • Vulnerabilidade (probabilidade de falha)
  • Criticidade (consequência da falha)

É essa classificação, dada a uma peça ou equipamento, que vai determinar com que frequência a inspeção deve ser feita.

A matriz de criticidade fornece ao responsável pela manutenção um guia sobre quais notificações e ordens de serviço podem ser reprogramadas para uma data futura e quais exigem atenção imediata.

Leia também: 5 dicas para reduzir custos de manutenção industrial

Processo de análise da matriz de criticidade de um equipamento

Embora pareça simples, o processo de análise de criticidade exige um esforço de toda a organização, devido às diferentes informações que ele reúne. Para fazer a avaliação de criticidade através do método ABC, classifique seus equipamentos entre:

  • Rotativo: o equipamento pode ser instalado e desmontado de locais funcionais
  • Móvel: equipamento de elevação, equipamento de incêndio de emergência, veículos, escadas
  • Fixo: pode exigir inspeção – torres, vasos, tambores, trocadores

Depois, atribua uma pontuação a cada uma das máquinas, conforme os critérios:

  • Segurança
  • Meio Ambiente
  • Qualidade
  • Produtividade
  • Manutenibilidade
  • Custos

A cada um destes critérios, atribua um nível de impacto:

A: alto impacto

B: impacto médio

C: baixo impacto

 

Com esta análise em mãos, utilize o fluxograma de decisão:

Como resultado, suas máquinas serão classificadas da seguinte forma:

  • A: equipamento altamente crítico
  • B: equipamento moderadamente crítico
  • C: equipamentos de baixa criticidade no processo

Leia também: Como garantir o melhor aproveitamento de uma visita técnica em sua fábrica

Os equipamentos críticos foram definidos. E agora, qual o próximo passo?

Uma vez que você tenha definido quais máquinas são as mais críticas, é hora de agir. Uma boa maneira de começar é estruturando um plano de manutenção que envolva as diferentes estratégias de manutenção: corretiva (executar até a falha), preventiva e preditiva.

Máquinas críticas devem ser o foco da manutenção preditiva, pois se destina a identificar possíveis falhas, preferencialmente em um estágio inicial, para evitar mais danos à máquina.

Outros métodos de análise de criticidade

Além deste método ABC, existem outros métodos de avaliação da criticidade das máquinas, como uma matriz GUT, o RCM (Manutenção Centrada em Confiabilidade) e FMEA (Análise de Modo e Efeito de Falha).

Importante: uma vez que cada equipamento é classificado, os gestores de manutenção podem tomar decisões baseadas em risco, em vez de intuição. Assim, todas as atividades e processos relacionados à confiabilidade serão executados com muito mais facilidade.

 

Agora que você já sabe como otimizar o processo de agendamentos de manutenção dos equipamentos da sua empresa, que tal descobrir os 8 passos para reduzir o tempo de setup na produção? Confira gratuitamente em nosso e-book!

COMPARTILHE:
Share on Facebook
Facebook
Share on LinkedIn
Linkedin


    Notice: is_404 was called incorrectly. Conditional query tags do not work before the query is run. Before then, they always return false. Please see Debugging in WordPress for more information. (This message was added in version 3.1.0.) in /home/blogindumakcom/public_html/wp-includes/functions.php on line 5663

    Notice: is_search was called incorrectly. Conditional query tags do not work before the query is run. Before then, they always return false. Please see Debugging in WordPress for more information. (This message was added in version 3.1.0.) in /home/blogindumakcom/public_html/wp-includes/functions.php on line 5663

    Fatal error: Uncaught Error: Undefined constant "WP_Rocket\Buffer\WP_ROCKET_PLUGIN_NAME" in /home/blogindumakcom/public_html/wp-content/plugins/clsop/inc/classes/Buffer/class-cache.php:443 Stack trace: #0 /home/blogindumakcom/public_html/wp-content/plugins/clsop/inc/classes/Buffer/class-cache.php(282): WP_Rocket\Buffer\Cache->get_rocket_footprint() #1 [internal function]: WP_Rocket\Buffer\Cache->maybe_process_buffer() #2 /home/blogindumakcom/public_html/wp-includes/functions.php(5107): ob_end_flush() #3 /home/blogindumakcom/public_html/wp-includes/class-wp-hook.php(303): wp_ob_end_flush_all() #4 /home/blogindumakcom/public_html/wp-includes/class-wp-hook.php(327): WP_Hook->apply_filters() #5 /home/blogindumakcom/public_html/wp-includes/plugin.php(470): WP_Hook->do_action() #6 /home/blogindumakcom/public_html/wp-includes/load.php(1097): do_action() #7 [internal function]: shutdown_action_hook() #8 {main} thrown in /home/blogindumakcom/public_html/wp-content/plugins/clsop/inc/classes/Buffer/class-cache.php on line 443